ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

O conteúdo desta página só pode ser visualizado na vertical!


imagem
Revista PORT.COM • 13-Mar-2017
Festival Internacional de Balonismo pinta o céu de Coruche



A primeira edição do Rubis Gás UP traz a Portugal balões de ar quente com formatos como aves, motas de competição ou até de botija de gás. Tem início no final do mês.

Coruche recebe a primeira edição do Rubis Gás UP, um festival internacional de balonismo que, entre 28 de março e 2 de abril, vai colorir o céu da vila ribatejana com mais de 35 balões de ar quente. O evento, organizado pela empresa Windpassenger, vai receber equipas da modalidade provenientes de países como Espanha, França, Inglaterra, Luxemburgo, Holanda, Bélgica, Alemanha, Estados Unidos e Brasil.

Alguns dos balões apresentam formas especiais, como um pelicano, uma coruja, uma moto de competição ou até uma botija de gás do principal patrocinador do evento, que também conta com a cooperação do município de Coruche, da Quercus e da marca Paladin.

A principal atração do festival é a possibilidade de os visitantes poderem fazer voos livres nos balões, controlados por pilotos experientes, sobre as paisagens coruchenses, sejam a própria vila, o rio Sorraia, florestas, lezírias e montados, não fosse este um concelho que marca a transição entre as regiões do Ribatejo e do Alentejo.

Cada voo custa 159€ por pessoa, que possibilita a plantação de uma árvore de espécie autóctone numa herdade municipal que a autarquia de Coruche pretende reflorestar. Parte do valor reverte a favor da organização ambiental portuguesa QUERCUS.

Para além disso, é possível a observação da vila a partir do céu num balão estático ou assistir ao Night Glow, um espetáculo noturno de luz e som durante o qual os balões vão sincronizar os seus queimadores ao ritmo da música. Durante o evento, Coruche vai receber vários espaços destinados ao artesanato e a atividades para toda a família.

Na conferência de imprensa de apresentação do evento, o presidente da Câmara Municipal de Coruche, Francisco Oliveira, congratulou-se com a “oportunidade de “vender” a belíssima imagem do município, com toda a sua paisagem natural”.

O presidente do Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, elogiou a iniciativa, que promove a possibilidade de se voar de balão na região: “Temos que criar eventos que produzem repercussão durante todo o ano. Fazer eventos que morram em si mesmo não considero relevante”.

O diretor de operações da Windpassenger, Guido dos Santos, expressou o desejo de que o evento “possa crescer ano após ano até chegar aos 100 balões por edição”. Esta empresa portuguesa tem prática a sobrevoar destinos como Holanda, França, Suíça, Emirados Árabes Unidos, Marrocos e Angola. No ano passado participou na organização do II Festival de Balões de Ar Quente na Ribeira Grande, nos Açores.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A Lei da Nacionalidade
José Cesário
Deputado do PSD eleito pelo círculo da emigração
As remessas dos emigrantes
Daniel Bastos
Historiador
Estudar em Inglaterra é (excessivamente) caro... Será que vale a pena?
Catarina Demony
Co-Autora do projeto Little Portugal
DISCURSO DIRETO
Um revés inesperado antes de chegar ao Reino Unido
Sérgio Fonseca
REINO UNIDO
Viver no Dubai, uma experiência incomparável
Sónia Costa
EMIRADOS ÁRABES UNIDOS
Como é ser um português recém-chegado a Nova Iorque
David Salgado
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ